Archive for junho \27\UTC 2010

Michael Jackson: Ano#01

27/06/2010

Homenagem no Rio: Estátua na laje do Morro Dona Marta

Anúncios

Vida de Balconista

09/06/2010

Você já imaginou ficar um dia inteiro dentro de uma locadora de vídeo? Já imaginou quantos tipos não devem aparecer perguntando pelo “último do Godard”? Se você já trabalhou numa locadora sabe muito bem o que acontece por lá. E claro, se você é cinéfilo vai citar o filme mais famoso sobre o assunto: “O Balconista” de Kevin Smith. Rodado em 1994, Clerks, no original, mostra a loucura que é o dia a dia de dois amigos que trabalham e praticamente fazem tudo na loja. Vida de balconista (Clerk’s Life, 2009) de Cavi Borges e Pedro Monteiro é uma sátira muito bem-humorada sobre o tema, mas com toques e retoques tupiniquins.

A Cavídeo é uma locadora instalada no bairro de Botafogo, na Cobal do Humaitá, e muito famosa no circuito-cult-independente do cenário-nerd-carioca. Cavi Borges sempre dizia que um dia faria um filme com as histórias que viveu e ouviu na loja. E esse dia chegou. Bom, na verdade não foi um dia e sim uma noite. Cavi e Pedro Monteiro receberam dois mil reais de um projeto da OI e partiram para a batalha. Como a grana era curta e o tempo dos atores mais escasso ainda, a solução encontrada foi queimar todo o negativo de uma vez.

Mateus Solano e a difícil tarefa de agradar a todos os gostos

Negativo, mas que negativo? O fotógrafo Paulo F. Camacho bem que gostaria de ter rodado o filme numa câmera 35 mm novinha, até uma antiga Bolex seria uma benção, mas Paulo teve que se contentar com as modernas câmeras digitais. A opção por usar uma lente grande angular – o espaço na locadora era mínimo – incomoda e causa uma estranheza no início, mas depois nos acostumamos com os closes e as caretas de Mateus Solano.

O elenco, formado por atores de teatro, foi fundamental para que fosse possível gravar tudo numa única noite. Alguns esquetes são longos e sem cortes, ou seja, os atores tiveram que decorar o texto, e claro, improvisar para não ouvir o terrível: “Corta! Vamos fazer outra vez!”. Mateus Solano faz o balconista do título e na época estava gravando a minissérie Maysa da Rede Globo e ainda não era – como podemos dizer – famoso como agora.

Pelo jeito a senhorinha não gostou do filme indicado

Cavi Borges e Pedro Monteiro fizeram uma experimentação, quase uma brincadeira, e provaram que o vídeo digital é a materialização da frase cunhada por Glauber Rocha: “Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça!”. Vida de balconista foi feito com paixão, tem um texto interessante e bons atores, mas somente isso não seria o suficiente para fazer a magia acontecer: roteiro virar filme!

O vídeo digital permite que milagres como esse aconteçam. Cavi, agradecido, nos brinda com uma refilmagem da já clássica cena de abertura de Pulp Fiction. Hilário! Ficamos com vontade de ver de novo, mas isso não é problema, é só passar na Cavídeo e alugar o DVD – que deve ter um monte de extras.

Vida de Balconista (Clerk’s Life)

Brasil, 2009. 75 minutos

Direção: Cavi Borges e Pedro Monteiro

Elenco: Mateus Solano, Gregório Duvivier e Paula Braum

Coleção Aplauso: Olhos Azuis

07/06/2010

Pra frente Brasil

04/06/2010

Imagens do novo Capitão América

02/06/2010

Chris Evans como Capitão América

O site “Ain’t It Cool News” vazou na rede quatro imagens conceituais do uniforme usado pelo ator Chris Evans na adaptação para os cinemas do personagem de quadrinhos Capitão América. O filme será produzido pelo selo Marvel Studios e dirigido por Joe Johnston das comédias Querida, encolhi as crianças (1989), Jumanji (1995) e o recente O Lobisomen com Benício Del Toro.

Chris Evans já viveu outro personagem da Marvel: O Tocha Humana

Capitain America: The Firt Avenger tem o lançamento previsto para 21 de julho de 2011 e um elenco que inclui além de Chris Evan (Steve Rogers/Capitão América), Sebastian Stan (Bucky Barnes), Hugo Weaving (Caveira Vermelha) e Hayley Atwell (Peggy Carter).

Aposta arriscada da Marvel numa época de sentimentos tão anti-americanos

Chris Evans não me parece o ator adequado para o papel